TechMestre - Tecnologia sob medida
TechMestre >>
Curiosidades
>>
Bebê com condição rara poderá nunca chorar ou falar depois de nascer com as cordas vocais paralisadas
Imagem para Bebê com condição rara poderá nunca chorar ou falar depois de nascer com as cordas vocais paralisadas

Bebê com condição rara poderá nunca chorar ou falar depois de nascer com as cordas vocais paralisadas


25/06/2014 09h13

Bebê de 3 meses, sofre com paralisia bilateral das cordas vocais, significa que suas cordas são incapazes de ser mover.


Um bebê nasceu com as cordas vocais paralisadas e agora é incapaz de chorar ou falar durante sua vida. Leya Raper, de 3 meses, está deixando sua mãe, Casey, de 23 anos, angustiada pelo fato de não conseguir pronunciar nenhum som.

A menina nasceu com paralisia bilateral das cordas vocais - o que significa que ambos os lados de suas cordas vocais são incapazes de se mover.

Ela foi capaz de produzir sons em seus primeiros dias de vida, mas Casey e o pai de Leya, Dan, também de 23 anos, logo perceberam problemas na respiração dela.

Os médicos disseram-lhes que não havia com que se preocupar, mas o casal de Bude, não satisfeito, procurou ajuda depois que o bebê começou a ficar com tom de pele azul por não conseguir oxigênio suficiente. 
Bebê de 3 meses, sofre com paralisia bilateral das cordas vocais, que significa que ambos os lados de suas cordas são incapazes de se mover.

Especialistas do Hospital Derriford de Plymouth diagnosticaram a menina com paralisia bilateral das cordas vocais após examinar sua garganta com uma pequena câmera. Eles não tinham escolha a não ser dar a Leya uma traqueostomia - uma abertura feita no pescoço para que ela obtivesse uma via aérea.

A operação de 90 minutos foi um sucesso, mas, por uma cruel ironia do destino, o ar que ela respira agora ignora suas cordas vocais, o que a impede de emitir qualquer som.

Como o bebê não podia chorar, Casey e Dan só podiam tentar adivinhar, através das expressões faciais da filha, quando ela estava chorando.

Casey disse que não sabe até quando Leya vai precisar da traqueotomia, e agora fica com a filha no hospital, e está aprendendo a usar o dispositivo que ajuda sua filha a obter oxigênio.

A família agora está aprendendo sobre a língua de sinais, para conseguir assim se comunicar com Leya nos próximos anos. Casey também está escrevendo um blog na internet para aumentar a conscientização sobre a doença, que geralmente é causada por danos ao nervo laríngeo, que controla o movimento das cordas vocais.
Fonte: Daily Mail
Cadastre seu email e receba novidades!

Cadastre seu email e receba as últimas novidades:

Twitter
Cadastre seu email e receba novidades!

Cadastre seu email e receba novidades:

MAIS LIDAS