TechMestre - Tecnologia sob medida
TechMestre >>
Curiosidades
>>
Bebê que adora banhos morre afogado em banheira
Imagem para Bebê que adora banhos morre afogado em banheira

Bebê que adora banhos morre afogado em banheira


13/08/2014 09h47 - Atualizado em 13/08/2014 09h48

Paul Carter adorava banhos e morreu afogado em banheira ao ser deixado sozinho por uns instantes enquanto sua mãe se distraiu.


Bebê Paul Carter-Young, de quase 2 anos de idade, cuja palavra favorita era banho, morreu afogado depois de ser deixado sozinho na hora do banho, quando sua mãe se distraiu com tarefas domésticas.

Sua mãe Kelly Young, de 36 anos, tinha sido distraída dobrando roupas e conversando com outro de seus quatro filhos em uma sala adjacente quando a tragédia ocorreu em abril.

Ela encontrou seu filho com a face para baixo na água quando sua filha mais nova gritou. 

Paul Carter-Young adorava banhos e morreu afogado em banheira ao ser deixado sozinho por uns instantes enquanto sua mãe se distraiu.

Os paramédicos foram chamados na casa isolada da família, mas o bebê foi declarado morto na chegada ao Real Blackburn Hospital.

Um inquérito ouviu detetives que investigaram o incidente e alegaram que não havia circunstâncias suspeitas em torno de sua morte e o menino era muito amado.

A criança tinha sido apelidada de dragão pela família porque ter nascido no ano chinês da criatura mitológica e amava banhos.

Em um comunicado senhorita Kelly, que foi dispensada de participar da audiência em Burnley, disse: "Ele nunca chorou, era muito forte. Fazíamos tudo por ele."

Ela acrescentou que a sua palavra favorita era banho e que ele gostava de estourar balões de água enquanto se lavava.

O inquérito ouviu que a tragédia ocorreu em 10 de abril, quando Paul sentou-se na banheira com seus brinquedos e jarros, mas a irmã Amelia não queria entrar.

A mãe disse que escutou os balões estourando antes de ir para seu quarto e conversar com a filha mais velha Imogen. Ela começou a dobrar a roupa enquanto gritava para Amelia entrar no banho e conversava com a outra.

Em seguida Amelia viu o irmão na banheira e gritou. A mãe correu para o banheiro e iniciou os movimentos para tentar salvar a vida do filho, além de chamar uma ambulância, mas ele não resistiu.

O patologista Naomi Carter não foi capaz de dizer quanto tempo o menino estava sob a água.

Os pais ficaram arrasados com o incidente e não compareceram ao inquérito que concluiu que o caso foi uma morte acidental.
Fonte: Daily Mail
Cadastre seu email e receba novidades!

Cadastre seu email e receba as últimas novidades:

Twitter
Cadastre seu email e receba novidades!

Cadastre seu email e receba novidades:

MAIS LIDAS